• Há três coisas no mundo que não merecem misericórdia, a hipocrisia, a fraude, e a tirania.

  • Escandalo - Escala da lavagem de dinheiro, Londres? - Transparency International

    Como é possível que um dos lugares do mundo, com um dos regulamentos mais restritivos e mais bem organizados, pode ser um local adequado para as actividades financeiras ilícitas? Bem, a abordagem é simples e óbvia. 

    Antes de continuar com este tema muito interessante, é essencial considerar o que é fruto do mais recente relatório da TI. A Transparency International  é uma organização não-governamental, cujo objetivo é promover uma ação específica contra a "política internacional crime corporativo e corrupção, com sede em Berlim, fundada em 1993 pelo ex-diretor-gerente do Banco Mundial. A Transparency International no seu mais recente relatório indica claramente a escalada do problema "36.342 propriedades de Londres cobrindo um total de 2,25 quilômetros quadrados são ocupados por empresas registradas e escondidas em paraísos fiscais , diz nova pesquisa da Transparency International, hoje publicado. A pesquisa -  Land Registry and Metropolitan Police Proceeds of Corruption Unit - descobriu que 75 % das propriedades cujos donos estão sob investigação por corrupção fez uso de sigilo corporativo offshore para esconder suas identidades.".
     
    Analise mercado por Raconteur - No ano passado(2014), a economia do Reino Unido perdeu £ 52 Biliões de fraude e 70 por cento das empresas sofreram com pelo menos um tipo de atividade fraudulenta. No entanto, apenas metade das empresas do Reino Unido têm uma política anti fraude. Com tendência do cibercrime a aumentar durante o ano de 2014, este relatório investiga o aumento da fraude e- commerce, serviços financeiros e combater a fraude de cartão, e os riscos de corrupção nos mercados emergentes. Ele também explora a importância do modelo de empresa anti- fraude e políticas de denúncia bem como as empresas podem proteger seus ativos digitais e IP de forma mais eficiente.

    Uma reportagem da BBC Uk em Janeiro/2015 com o título "Imóveis de Londres 'valem o mesmo que PIB do Brasil'" já reportava alguns indícios de que algo parece não estar bem: "O valor total de imóveis em Londres atingiu US$ 2,2 trilhões - valor equivalente ao Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil, segundo um relatório internacional.O montante - equivalente a £4,84 trilhões - equivale também aos PIBs de México, Argentina e Colômbia somados, informou a imobiliária internacional Savills. Para o chefe de pesquisas de imóveis residenciais da Savills, Lucian Cook, responsável pelo estudo, a comparação é impactante."O valor espanta. Por trás disso, há muitos fatores: questões locais, mas também o impacto da globalização e a atração que um lugar como Londres gera", disse ele à BBC.O setor imobiliário em Londres vive um momento de alta, puxado pela atividade de investidores estrangeiros comprando ativos imobiliários na cidade. Em 2013, por exemplo, 85% dos imóveis novos foram vendidos a investidores estrangeiros."

    A descrição acima é suficiente para nos dar uma ideia da abordagem destas últimas publicações onde são projetadas informações que mostram um cenário pouco animador, não existe aqui nenhuma intenção de demitir os dados oficiais de esta e muitas organizações desta natureza, é importante considerar que o Banco Mundial está intimamente ligada à organizações internacionais, como a OCDE, G20, IEA, etc. Por isso, é bom lembrar que um dos principais objectivos destes organismos internacionais, é para truncar a permanência de jurisdições offshore de forma legítima, regulada e completamente transparente para fazer negócios e investir em rota internacional. Segundo a agência, a nova tática brilhante que os criminosos encontraram para a lavagem de dinheiro no Reino Unido, é através da aquisição de propriedades(terras e imóveis), os valores apresentados no mais recente relatório, mencionou que este representa cerca de 36.000 propriedades em Londres, que a mesma organização "acredita" não ter nenhuma capacidade de proteger o mercado dessa empresas offshore onde muitas das propriedades adquiridas são usadas para esconder o dinheiro da corrupção. Uma noticia no Metropolitan Police relata o mesmo escandalo.

     Ilhas Virgens Britânicas – um dos muitos paraísos fiscais onde as empresas possuem oficialmente imóveis cuja propriedade é obscurecida por leis de sigilo , segundo a polícia .

    Scotland Yard disse que o mercado imobiliário de Londresé atraente por muitas razões
    No seu relatório, a Transparency International do Reino Unido diz que 1 em cada 10 propriedades na província de Westminster pertencem a empresas offshore, usando esse fato para garantir que os criminosos de ramos internacionais usam muitas propriedade britânica como um destino seguro para se esconder o seu dinheiro sujo; em seu escandaloso relatório Transparency International indica que 36.000 propriedades em Londres pertencente a paraísos fiscais. As empresas estrangeiras envolvidas com a aquisição desses imóveis, mais de um terço são registadas nas Ilhas Virgens Britânicas(British Virgin Islands), que, como nos lembramos está prestes a perder o seu estatuto de paraíso fiscal. Finalmente, a organização pediu ao governo britânico para agir rapidamente e garantir que o Reino Unido não se torne o destino de eleição para a corrupção global. Um porta voz da Scotland Yard disse que o mercado imobiliário de Londres é atraente por muitas razões em outros países, uma vez que a aquisição de uma propriedade neste lugar "garante a segurança alto investimento". A referência utilizada para apoiar a hipótese de que na maioria dos casos, essas propriedades foram adquiridas com dinheiro ilícito, é que o preço médio desses imóveis sob investigação criminal no Reino Unido é de £1,5M . O mínimo é de  £130.000 , o máximo é de £9M e a mediana é £910.000. 48% das propriedades investigadas foram avaliadas em mais de £$1 milhão/unidade, o relatório é escandaloso.
    James Ibori , acusado de lavagem de dinheiro condenado a 13 anos por fraude, tem uma mansão em Hampstead que ele comprou por £2,2 milhões .
    CONSIDERAÇÕES SOBRE TRANSPARÊNCIA INTERNACIONAL DE DADOS Como eu mencionei no início deste artigo, a Transparency International é uma organização estreitamente ligada aos principais órgãos de procuradoria do mundo, que é por isso que é extremamente interessante para desvendar alguns fatos sobre esta notícia: As informações fornecidas desde o início é preocupante, e a Transparency International não pode garantir que jurisdição no offshore em causa e acredita que essas empresas adquiriram essas propriedades, com a intenção de esconder dinheiro corrupto, totalmente sem mérito de forma fraudulenta. 

    Algumas de nossas piramides conhecidas, passaram por Londres, alugaram escritórios virtuais, outra até tem sede em Inglaterra: DFRF Enterprise e a Accedium UK Limited do Daniel Filho, GetEasy Ifc Ltd e Dr. Michael Herzog (persumivel testa de ferro do golpe geteasy), Goobets portugues se gaba sobre apostas online, vive em Londres a "troco" de beneficios fiscias. E muitos mais exemplos poderiamos dar, outros nem tanto, nem tudo está ainda clarificado. Quem são essas empresas, sem falar nos demais.... Boa questão. 


    Descobrimos um bom evento sobre o tema e os profissionais de investigação - 2015 ACFE European FRAUD CONFERENCE 22-24 March 2015  |  London organizado pela Association of Certified Fraud Examiners, Inc.

    0 comentários:

    Enviar um comentário

    Hashtags

    #JeSuisCharlie (2) #notinmyname (1) #OpCharlieHebdo (1) activist (4) alert (6) alerta (9) alerta fraude (19) Anonymous (1) antonio loios (4) arte (1) ativistas (3) banco (2) banqueamento de capitais (2) banyak (1) BBOM (1) Belgique (1) BES (1) boom (1) brasil (2) brazil (1) burla (6) caçadores de piramides (4) carlos costa (1) caso político (1) centcom (1) charlie hebdo (1) children (1) comunity (1) concept (2) contrato (2) copa (1) corrupção (4) crianças (1) crime (4) crise (2) crisis (1) cronica (1) cybercaliphate (1) daniel filho (3) DFRF Enterprises (4) direitos (2) direitos humanos (2) Documentary (1) economia (4) economics (2) educação (2) el (1) el chapo (2) escandalo (2) espanha (1) estado (1) Estado islamico (1) estado islâmico (2) ética (2) Europa (2) evasão fiscal (1) Falciani (1) finanças (1) fisco (1) FMI (1) football (1) França (2) france (2) fraud (13) fraude (22) futebol (1) Germán Cardona (1) geteasy (9) Gildevan Ribeiro (1) go2up (2) Goldman Sachs (1) golpe (1) goobets (1) Goobets LLP (2) goup (2) government (2) governo (3) hack (1) hacktivist (2) Hernani Gonçalves (1) HMRC (1) Holstee (1) HSBC (1) HSBC Private Bank (1) human rights (2) humanidade (3) humor (1) idea (1) ifreex (4) igetmania (8) Internet (1) interpol (1) intolerancia (3) investigação (1) islão (1) José Sócrates (1) jovem (1) justiça (2) laudo (1) lavagem de dinheiro (3) lei (2) Lifecycle (1) london (2) Londres (1) madeira (1) madrid (1) malala (1) Manifesto (1) maomé (1) michael herzog (1) Misael Martins (1) mmn (1) moral (1) moralidade (1) morte (1) mouseland (1) mulher (1) Neteller (1) NOBEL (1) noticia (2) novela (1) Oliveira e Costa (1) one thor (1) online (1) ONU (1) organization (2) ouro (1) paraiso fiscal (1) paris (1) Passos coelho (1) piramidation (3) piramide (6) pirâmide (7) piramides financeiras (4) police (2) policia (2) polinesia (1) politica (5) política (1) politics (3) Ponzi (7) portugal (1) primeiro ministro (1) produção (1) production (2) promotor (1) pyramid (2) reação (2) Ricardo Salgado (1) Sanderley Rodrigues (1) Sann Rodrigues (2) scam (9) scammers (1) scheme (2) SEC. Securities and Exhange Commission (1) self-organising (1) slap her (1) structure (1) suiça (1) SwissLeak (1) tachoeas (1) tachoeasy (1) telexfree (5) terrorismo (2) tiago fontoura (5) tolerancia (2) transgender (1) Transparency International (1) transsexual (1) troika (1) twitter (1) Universo FoneClube (1) us now (1) viconcept (2) video (2) wingsnetwork (1) Ympactus Comercial Ltda (2) youtube (1)